terça-feira, 16 de outubro de 2012

PARNASIANISMO

                                                         
Contexto Histórico

Surgindo na França devido aos movimentos literários na Europa no século XIX: o Realismo e o Naturalismo, e também criticando o Romantismo, foi uma escola literária que se opôs da prosa, do sentimentalismo. Foi um movimento poético influenciado pelo crítico Théophile Gautier.
O Parnasianismo veio da mudança do sentimentalismo romântico, já que seus pensadores achavam que as poesias românticas escondiam a verdadeira essência e qualidade de uma poesia. Então, eles formularam um vocabulário mais objetivo, que muitas vezes acabava sendo difícil de compreender devido a linguagem usada. Eles costumavam dizer que os artistas românticos idealizavam demais, fantasiavam demais.

Características 

Tem como principais características:

- A objetividade na linguagem;
- Os temas são inspirados na realidade do ser humano;
- Não é sentimental, ou seja, independente do que o autor sente e pensa do assunto, não interfere na obra;
- É bem descrito os personagens, os lugares;
- Uso de vocabulário culto, muitas vezes dificultando o entendimento do leitor;
- É racionalista, surgindo pensamentos filosóficos;
- A mitologia grega e latina tem grande referencias nas obras parnasianistas;

Parnasianismo no Brasil

O Parnasianismo começou no Brasil, quando Teófilo Dias publicou “Fanfarras” em 1882. Porém os artistas brasileiros não seguiram exatamente todas as características do parnasianismo europeu, fugindo um pouco do universalismo, criando poemas com subjetividade e tendo como referência acontecimentos reais locais.
No Brasil, os principais autores parnasianos são: Olavo Bilac e Raimundo Correia. Olavo Bilac expressou seu mundo interior através de uma poesia lírica, amorosa e sensual, abandonando o tom comedido do Parnasianismo.

Obras Principais

Via Láctea 

"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso! E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto,
E abro as janelas, pálido de espanto...

E conversamos toda a noite enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E ao vir do Sol, saudoso e em pranto
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: "Tresloucado-amigo!
Que conversas com elas? Que sentido 
Têm o que dizem, quando estão contigo?"

E eu vos direi: "Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas."

Olavo Bilac



Olavo Bilac nasceu no Rio de Janeiro e depois se mudou para São Paulo, publicou crônicas, conferências literárias, discursos, livros infantis e didáticos, entre outros. Foi membro da Academia Brasileira de Letras, foi ele quem escreveu o Hino à Bandeira. Ele buscava em seus poemas valorizar o cuidado formal do poema, em busca de palavras raras, e seguir as regras da composição poética. Publicou várias outras obras, como: “Um beijo”, “O Caçador de Esmeraldas”, “Tarde”, entre outras.


Trabalho feito por: Andrew Passaretti, Diana Pires, Júlia Altoé, Taynara Amaral e Thaissa Tobias. 2M1.

Um comentário:

  1. Obrigado !
    Me ajudou um pouco , mas faltou falar da triagem , dos três poetas separadamente .

    ResponderExcluir